sexta-feira, 4 de março de 2011

01. Introdução a ética

14/03/11 - 01. O porquê da ética (SUNG, SILVA, 1995, 11-24); Problemas da ética (VALLS, 2008, 7-23);




OBSERVAÇÃO: 
1) Se fizer uma síntese do texto todo, sem nenhuma citação direta (sem cópia alguma), ou seja, se você trabalhou as palavras e não copiou frases. Não é preciso fazer citações.
2) Se você resumiu a partir de cópias de pequenos trechos e de sínteses, faça da maneira correta de citar. Cópias entre aspas indicando o(s) sobrenome(s) do(s) autor(es), o ano da obra e a(s) página(s). E, sínteses indicando o(s) sobrenome(s) do(s) autor(es) e o ano da obra.

19 comentários:

  1. Devemos nós pergunta o que é etica, ao meu ponto de vista Etica, e perguntar-se a si mesmo "Que devo fazer", "Será que é correto fazer isso?", devo me intrometer nos problemas dos outros mesmo sendo meu amigo, mesmo não sendo da minha conta, devemos deixar pra lá, ou devemos ajudar? Moral tem o significado de costumes, juntamente com a etica ela interfere no nosso modo de vida, do que seria certo ou errado , na nossa condição humana e sermos responsaveis pelas consequencias das nossas ações e atitudes, Devemos atraves da etica pensar que nosso futuro e da própria humanidade esta nas mão de cada um de nós. Antigamente a Etica era vista so por classe altas, podendo tirar base pela escravidão e os maus tratos, mas hoje em dia no comovemos diante de uma situação desumana. A ética nós faz responsaveis por cada intenção e ação, por mais que cada ação tenha uma motivação, boa ou ruim, podendo haver assim um conflito entre meus interesses e meus objetivos, esse conflito existe pela humanidade que a em cada pessoa, pode-se chamarde "Consciênica ètica" então sempre que tomarmos uma decisão devemos pensar nas consequencias que ela poderá me trazer mais cedo ou mais tarde.



    Jacques Amâncio Da Silva 4°ADM

    ResponderExcluir
  2. Zaiana Moura Prates Silveira13 de março de 2011 17:46

    O porquê da ética

    SUNG, Jung Mo e SILVA, Josué Cândido da. Ética profissional do administrador, edição 15ª, Rio de Janeiro, Vozes 2008.
    Zaiana Moura Prates Silveira

    Citações Diretas: Quando todos aceitam os costumes e os valores morais estabelecidos na sociedade não há necessidade de uma discussão sobre eles. Mas quando surgem questionamentos sobre a validade de determinados valores ou costumes, surgem a necessidade de fundamentar teoricamente estes valores vividos de uma forma prática; e, para aqueles que não concordam, a de criticá-los. Aqui aparece o conceito ética, que vem do grego ethos, modo de ser caráter. Pg 13
    Conhecer alguns pontos fundamentais sobre a ética não é apenas uma questão acadêmica ou restrita a alguns momentos em que a sociedade discute mais acaloradamente- por exemplo, os problemas éticos na política- mas também uma necessidade para a convivência social. Pg 14
    O ser humano deve, portanto construir ou conquistar o seu ser. Ele não nasce pronto, se faz ser humano, se torna pessoa. O grande desafio de nossas vidas é este processo de construção do nosso ser. Pg 15
    As nossas ações têm, por trás de si, motivações. Essas podem ser conscientes ou inconscientes. Quando são conscientes, isto é, quando temos a consciência do fim almejada e dos meios utilizados, nós temos um ato voluntário. Pg 17
    O conhecimento da possibilidade dos efeitos não-intencionais nos levanta a necessidade de não reduzirmos as questões éticas às intenções das pessoas e também a de entendermos melhor estas estruturas ou sistemas que interferem nas nossas ações e vidas. Pg 19
    Citações Indiretas: Ética é uma questão de humanidade, pode falar-se em ética quando se fala em humano. A ética é liberdade de escolha, a possibilidade de decisão, ética pressupõe a possibilidade de opção.
    Não tem como falar em ética e não falar em liberdade.
    Quem não é livre não pode, evidentemente, ser julgado do ponto de vista da ética. A ética estuda o bem assim, o seu objetivo é a virtude na condução da vida, facilitando a realização das pessoas: que o ser humano consiga a perfeição, isto é, a realização de si próprio como pessoa.
    A ética tem sido o principal desenvolvimento histórico da cultura da humanidade, sem ela a os povos já teria se despedaçado. Ética é algo que todos precisam ter, mas alguns dizem que têm, poucos levam a sério, ninguém cumpre a risca. Ética: disciplina que trata da moral -
    Para viver numa sociedade civilizada onde os valores deveriam ser aplicados na prática e não na teoria é imprescindível manter o mínimo a palavra e em consequência a honra.
    Quem tem ética tem a perspectiva da realidade contemporânea diferenciada do resto das pessoas.
    Sem a ética o mundo não seria como é: com respeito, o mundo já anda cheio de badernas imagina sem a pequena ética que existe em alguns.

    ResponderExcluir
  3. O porquê da ética


    Quando nos fazemos algumas perguntas como “Que devo fazer?” “Será que é correto fazer isso?” “O mudo não de veria ser assim?” ou “Porque o mundo é assim?” estamos questionando situações cotidianas, mas são exatamente essas perguntas que devemos saber responder para ter uma vida em sociedade.
    As normas impostas pela sociedade têm muito haver com os valores morais, e este por sua vez pode ser entendido como ética. Sung, 2008 pg.12 define normas como sendo “... meio pelos quais os valores morais de uma sociedade são expressos e adquirem um caráter normativo, isto é, obrigatório”. Mesmo definindo a palavra norma o autor afirma que as palavras; norma, normativo, normal, moral e costumes; são todas ligadas em torno da definição de ética.
    Sócrates com sua filosofia, por exemplo, questionou os valores da democracia ateniense e a moral judaica de seu tempo. Mas esta prática de se rebelar diante de uma prática ou valor moral pode ser vivenciada por qualquer pessoa da sociedade, não apenas filósofos; basta não estarmos totalmente “domesticados” pelos valores vigentes. Essa atitude de se rebelar diante de uma situação desumana ou injusta também é denominada indignação social.
    Essa atitude de indagar situações consideradas normais é que nos leva a vislumbrar um futuro que não seja uma mera repetição do presente, e nos leva a sair do estado de conformismo.
    Então pode-se concluir que ética é uma “...Reflexão teórica que analisa, critica ou legitima os fundamentos e os princípios que regem um determinado sistema moral” (SUNG, 2008 pg.13) ou seja, a ética não é uma lei escrita ou imposta, e sim uma característica individual do ser humano que vai determinar as atitudes do individuo em relação as normas e as inúmeras situações cotidianas em que o mesmo se vê em um dilema, entre o que seria correto em relação a sociedade e o que seria certo em relação aos seus próprios princípios.

    Lilian Beatriz de Azevedo

    ResponderExcluir
  4. Os problemas da ética

    Numa visão ampla da palavra ética, ela pode ser entendida como “... um estudo, ou uma reflexão, cientifica ou filosófica, e eventualmente até teológica, sobre os costumes ou sobre as ações humanas”. (Valls, 2006: 7).
    Presume-se então que a ética, não tem um único significado global totalmente aceito, pois ela pode ter uma definição a partir de cada uma das visões expostas. Prova disso é que os problemas teóricos da ética, didaticamente são divididos em dois campos:
    • Problemas gerais e fundamentais – liberdade, consciência, bem, valor, lei e outros;
    • Problemas específicos, de aplicação concreta – problemas de ética profissional, política, sexual, matrimonial, bioética, etc..

    Diante de uma abordagem tão ampla da palavra ética, abre-se uma fenda para que surja uma vasta gama de indagações e suposições, devido as inúmeras situações onde a ética pode ser questionada devido à tamanha abertura para diferentes problemáticas. Dentre essas indagações, poderíamos nos perguntar se “num país capitalista, o principio do lucro poderia ou deveria situar-se acima ou abaixo das leis da ética”, “em tempos difíceis, uma lei injusta de um estado autoritário precisa ou não ser obedecida”, “quando temos um problema de consciência”, “quando estamos com um sentimento de culpa”.
    Cabe à reflexão ética perguntar se o homem pode ser realmente culpado, ou se o que existe é apenas um sentimento de mal estar sem fundamento. Mas quem decide o que é e o que não é eticamente correto? E a partir de quais afirmações? Essas são duas perguntas das quais haverá muitas respostas, mas, o que realmente pode ser dito com toda certeza é que o que é ético para alguns, para outros pode ser inaceitável tal atitude.
    Outra questão muito relevante quanto à definição de ética, é que se deve levar em consideração as crenças e costumes, pois o que pode ser aceito – por exemplo – entre os índios Xingu pode rejeitado em outros lugares do mesmo país. além do fato que os pensamentos evoluem (ou apenas mudam seu ponto de vista) com o passar do tempo, então o que era eticamente correto séculos atrás, seria intolerável hodiernamente.
    No campo da filosofia, Sócrates foi o primeiro pensador da subjetividade e considerado o fundador da moral. Mas essa valorização da subjetividade ou da personalidade, culmina com Kant, no final do século XVIII.
    “Kant buscava uma ética universal que se apoiasse apenas na igualdade fundamental entre os homens”. Pois Kant afirmava que “se a moral é a racionalidade do sujeito, este deve agir de acordo com o dever e somente por respeito ao dever: porque é dever, eis o único motivo valido da ação moral”. (VALLS, 2006: 18)

    Lilian Beatriz de Azevedo

    ResponderExcluir
  5. Juliana Natalia de Oliveira Silva14 de março de 2011 12:11

    Juliana Natália de O.Silva - 4º Adm

    O porquê da ética.

    Sabemos que para se viver em sociedade é preciso sim saber responder e agir de acordo com algumas questões que fazem parte de nosso cotidiano.
    E a questão é que elas são totalmente englobadas no senso da ética, ou seja, a responsabilidade com o senso moral, comportamental e ético.
    Porém pode se perceber que a maioria da sociedade ainda vive como um senso comum, muitas vezes seguindo regras e normas do meio social, e é assim de certa forma que as pessoas conseguem se sentir dentro da normalidade.
    Mas cada indivíduo sabe que tem seus valores morais e éticos e fazem jus a isso cumprindo normas e seguindo os costumes sociais.
    A ética é uma forma de indicar o melhor modo de viver no cotidiano e na sociedade, e é necessário conhecer seus principais pontos para que possa haver uma convivência social.
    O ser humano é um ser que não nasce pronto, é preciso que ele construa seu ser, onde o grande desafio de cada um de nós é este processo de construção do nosso ser, nosso eu.
    Cabe a cada um de nós decidirmos oque é certo ou errado, e agir de forma ética em cada uma dessas situações, é através de nossas ações que saberemos se estamos agindo corretamente e com ética.
    A maioria das profissões hoje tem seu próprio código de ética que é um conjunto de normas de cumprimento obrigatório, derivadas da ética.
    Sabemos que todos nós somos seres morais e que as comunidades humanas sempre criaram e ainda criam um método de sistemas de valores e normas morais para que se possa possibilitar a convivência dentro do meio social.
    O mundo reclama de forma muda a necessidade de uma reabilitação do ethos,
    dos valores morais de base que sustentam as atitudes humanas; precisamos da Ética, de teorias filosóficas ou teológicas sobre os valores, normas e princípios que devem orientar as nossas decisões e comportamentos.


    Problemas da ética.

    A maioria das pessoas sabe bem oque é ética, porém sabe - se que é algo que não é fácil de explicar.
    Seria a ética uma ciência? De um modo geral, no que se trata da ética seria uma ciência que estuda a liberdade humana, o comportamento individual diante de certas situações.
    Dentro deste contexto observa – se que existem tantos os problemas do bem, quanto os problemas do mal e entre outros diversos tipos de problemas, mas nesse campo a ética costuma se separar de forma bem ampla, de um lado entram os problemas fundamentais e gerais onde se classificam a liberdade, consciência, bem, valor e outros.
    De outro os problemas que podemos dizer que são bem mais específicos como problemas da própria ética profissional, de política, ética sexual entre outros.
    Analisando o simples fato de sermos éticos, oque acontece quando temos um pequeno problema com a nossa consciência, oque não é novidade isso acontece com todos, caberá ao próprio individuo fazer uma reflexão ética e analisar se oque esta sentindo realmente é culpa mesmo por não ter sido ético, ou é apenas um sentimento mal interpretado.
    Vemos aqui que na verdade não são sós os costumes que variam, mais entre eles também os valores que acompanham, onde as próprias normas concretas, os próprios ideais e a sabedoria esta ligada de um povo a outro.
    Mas diante de tantos valores e regras, oque podemos dizer que é um comportamento correto em ética?Seria seguir os costumes moralmente ou socialmente? Será que uma pessoa que agir de forma diferente de seus costumes, estaria cometendo um erro, seria criticado pela sociedade , pelo menos ate que esta não adotasse um tipo de comportamento diferente.
    Podemos então dizer, que sempre seria errada esta ação, ate que não houvesse costumes, valores e comportamentos vigentes.
    Podemos afirmar que todos os valores éticos podem ser transformados, assim como a própria sociedade o tem feito.

    Juliana Natalia de Oliveira Silva.

    ResponderExcluir
  6. O texto trata sobre o porquê da moral e da ética na sociedade, essas normas e porquês de moral e ética que estamos falando têm a ver com os valores morais e crenças seguidas por cada um essas expressões e costumes e o que vem a ser analisado.
    Quando todos aceitam os costumes e os valores morais estabelecidos na sociedade não há necessidade de muita discussão sobre eles. Mas quando surgem questionamentos sobre a validade de determinados valores ou costumes, surge ha necessidade de fundamentar teoricamente estes valores vividos de uma forma prática; e, para aqueles que não concordam a de criticá-los. (pag. 13)
    O fato de não saber como agir em determinadas situações nos mostra que, diferentemente de outros animais os seres humanos são seres inacabados, isto é, são determinados pela natureza, por isso que cada um, ou cada grupo, cria respostas e soluções diferentes para problemas semelhantes. (pag. 15)
    Quando assumimos nossa condição humana não damos conta de nossas ações do consciente e do voluntario, a maioria das nossas motivações é do inconsciente ou automática, isso é fruto das crenças e regras morais e sociais, internacionalização essa que se da no processo de socialização dos indivíduos numa sociedade. (pag. 18)
    Alguns questionamentos tratados podem gerar conflitos, isso se da devido a crenças e valores de cada individuo na sociedade, os conflitos são gerados através dos interesses a curto prazo e dos objetivos traçados que ficam a longo prazo, esses objetivos em determinadas situações de chocam e temos que escolher um como prioridade que nem sempre isso é bem sucedido, já que se tem as vantagens e desvantagens de cada opção a fazer.
    A consciência ética que surge desse conjunto é diferente de uma simples assimiliação de valores e normas morais vigentes na sociedade. (pag. 22)


    SERGIO HENRIQUE CARVALHO FARIA - 4º ADM

    ResponderExcluir
  7. JAQUELINE APARECIDA OLIVEIRA QUIM
    FICHAMENTO
    SUNG, Jung Mo. Conversando sobre ética e sociedade. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.
    CONVERSANDO SOBRE ÉTICA E SOCIEDADE: O PORQUÊ DA ÉTICA
    No decorrer da nossa existência sempre seguimos as normas que são impostas pela sociedade e isso muitas vezes, acaba nos trazendo certa comodidade por não ser responsáveis por uma série de atitudes e ações que simplesmente acabam tirando a culpa das más ações dos seres humanos e assim colocando-as todas na forma como se deve agir devido aos padrões impostos pela sociedade e isso acaba deixando uma pessoa não ética pelo simples fato de agir de acordo, com o caráter ético imposto pelo meio social, deixando-os agir pelas normas já estabelecidas.
    A ética segundo Sung (1958, p.13) "é o conjunto das práticas morais cristalizadas pelo costume e convenção social dos princípios teóricos que as fundamentam ou criticam e que regem um determinado sistema moral". Diante desse pressuposto as pessoas devem ir à busca de construir seu ser, para que possam ser livres para buscar soluções para os problemas que surgem ao relacionar com outras pessoas, a indignação dos seres humanos se da a partir da experiência de se libertar das normas injustas mais que são obedecidas pelo simples fato de ser aceitas como normais.
    Quando reconhecemos a nossa condição como humanos, buscamos o nosso ser para que assim possamos assumir as nossas ações e atitudes e também ser responsáveis pelas suas conseqüências. Esses fatores produzem tanto efeitos intencionais e não-intencionais que acabam gerando conflitos, onde cada pessoa tem que pesar as vantagens e desvantagens e assim escolher a opção que atinge o bem maior sem negar os interesses imediatos.

    ResponderExcluir
  8. VIVIANE GONÇALVES DE MORAIS

    FICHAMENTO 1 - O Porquê da Ética

    Referência:

    SUNG, Jung Mo e SILVA, Josué Cândido da. Conversando sobre ética, 15.ed. Petrópolis, R J: Vozes, 2008.


    Conforme Sung e Silva (2008), a ética é definida como o conjunto das práticas morais de uma determinada sociedade, ou então os princípios que norteiam estas práticas. Ética seria então uma reflexão teórica que analisa e critica ou legitima os fundamentos e princípios que regem um determinado sistema moral. (p.13).
    Conhecer alguns pontos fundamentais sobre ética não é apenas uma questão acadêmica ou restrita a alguns momentos em que a sociedade discute mais acaloradamente – por exemplo, os problemas éticos na política – mas é também uma necessidade para a convivência social. (SUNG E SILVA, 2008, p.14).
    Para Sung e Silva (2008), indignação é uma das experiências humanas fundamentais, pois é a experiência de liberdade de frente às normas injustas e petrificadas aceitas com “normalidades”. (p.17).
    Somos responsáveis não somente pelas intenções das nossas ações, mas também pelas suas conseqüências. As nossas ações têm por trás de si motivação, essas podem ser conscientes ou inconscientes. Além das intenções devemos levar também em consideração as conseqüências das ações. É importante destacar que as ações humanas produzem efeitos intencionais, mas também efeitos não-intencionais. (SUNG E SILVA, 2008, p.17 e 18).
    Segundo Sung e Silva (2008), o questionamento ético revela algumas contradições que fazem parte de nossas vidas, sendo o conflito que pode existir entre meu interesse a curto prazo e meus objetivos a médio ou longo prazos. Além desse conflito existe o conflito entre interesse pessoal e coletivo.
    A consciência ética com a “desconfiança” de que os valores morais da sociedade ou os meus encobrem algum interesse particular não confessável ou inconsciente que rompe com as próprias causas geradoras de moral. (p.22).

    ResponderExcluir
  9. VIVIANE GONÇALVES DE MORAIS

    FICHAMENTO 1 - Os Problemas da Ética

    Referência:

    VALLS, Álvaro L.M. O que é ética. São Paulo: Brasiliense, 2006.


    Umas das definições que o texto apresenta sobre a ética como sendo um estudo ou uma reflexão, científica ou filosófica, e até teológica, sobre os costumes ou sobre as ações humanas.
    Conforme Valls, (2006), os problemas teóricos da ética podem ser divididos em dois campos sendo: os problemas gerais e fundamentais (como liberdade, consciência, bem, valor, lei, entre outros); os problemas específicos de aplicação concreta, como os problemas de ética profissional, de ética política, de ética sexual, de ética matrimonial, de bioética, entre outros. (p.08).
    Diante da abordagem que a ética se distingue de outros ramos do saber, como o direito, a teologia, a estética, a psicologia, a historia, a economia e outros, quando diferenciamos estes ramos do saber, não estamos dizendo que os problemas, na prática da vida, não sejam complexos e com varias dimensões simultaneamente, mas são todos problemas específicos da ética.(VALLS, 2006, p.09).
    O que devemos levar em consideração é o que é ético para algumas pessoas, para as outras pode não ser. Os costumes, valores, crenças podem ser aceitos em algumas regiões, por determinados povos, país e rejeitados em outros lugares. Esta ação seria errada apenas enquanto ela não fosse o tipo de um novo comportamento vigente.
    O texto mostra Sócrates como um grande pensador da subjetividade, e destaca o seu comportamento irônico. Já Kant buscava uma ética de validade universal, que se apoiasse apenas na igualdade fundamental entre os homens, uma filosofia transcendental. (p.18).

    VIVIANE MORAIS - 4º ADM

    ResponderExcluir
  10. JAQUELINE APARECIDA OLIVEIRA QUIM
    FICHAMENTO
    VALLS, Álvaro L.M.. Oque é ética. São Paulo: Brasiliense: 2006.
    OS PROBLEMAS DA ÉTICA
    Segundo Vills (2006, p.7) a ética é “entendida como um estudo ou uma reflexão científica ou filosófica e até teológica, sobre os costumes ou sobre as ações humanas.” Pode-se ser considerado o estudo tanto as ações e os costumes e também pode ser a própria realização de um tipo de comportamento.
    Os problemas da ética se dividem em dois campos: nos problemas gerais e fundamentais e os problemas específicos. Uma questão fundamental na ética são os costumes que fazem uma reflexão teórica de forma universal e se analisados esses costumes percebe-se que por trás das normas explicitas, há outros valores mais altos, dentro de uma estrutura baseada na luta de interesses comuns.
    Para Vills (2006, p.16) “não seria exagerado dizer que o esforço de teorização no campo da ética se debate com o problema da variação dos costumes”.
    O autor menciona que Sócrates foi o fundador da moral, que não se baseava nos costumes do povo dos ancestrais mais em leis exteriores, adquirida através de um processo de consulta interior, na tentativa de compreender a justiça das leis. Já kant buscava uma ética que valesse para todo o universo que se apoiasse apenas na igualmente entre os homens e os conteúdos éticos nunca são dados de forma exterior , onde cada pessoa tem a forma do dever e essa forma se expressa em várias maneiras mais nunca é baseada em hipóteses ou condições.
    Conforme Vill (2006, p. 18) “o dever obriga normalmente a consciência moral livre, e a vontade verdadeiramente boa deve agir sempre conforme o dever e por respeito ao dever.” A moral pode ser enquadrada como sendo a racionalidade, e a partir daí agir de acordo com o dever e por respeito ao dever.

    ResponderExcluir
  11. Cíntia Tamiko Nomizo - 4º Ano14 de março de 2011 15:30

    TEXTO 1 - O PORQUÊ DA ÉTICA?
    SUNG, Jung Mo; SILVA, Josué Cândido da. Conversando sobre ética e sociedade. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

    TEXTO 2 – OS PROBLEMAS DA ÉTICA
    VALLS, Álvaro L. M. O que é ética. São Paulo: Brasiliense, 2006.


    Ao se questionar o que é ética, tem-se a ideia de um conjunto de regras básicas de condutas do homem dentro da sociedade, visando o bom convívio e a paz social. Quando se pergunta o que seria uma conduta ética, surge a ideia de que seria uma atitude/escolha entre o certo e errado, do justo e injusto, o que, consequentemente, nos remete a pensar de forma complexa, pois o conceito destas quatro expressões não é igual para os homens, em sua totalidade. As pessoas possuem o livre arbítrio na realização de suas escolhas, ainda que diferem-se uma das outras, mesmo quando estão inseridas em um mesmo ambiente/grupo, pois pode-se dizer que a ‘ética’ é uma expressão que comporta diversas definições formuladas pela sociedade a fim de melhorar o convívio entre as pessoas. Problema que surge dessa diversidade é o fato de que o que é ético para uns pode não ser para os outros.
    Questionamentos como “Que devo fazer? Será que é correto fazer isso? O mundo não deveria ser assim? ou Porque o mundo é assim?” auxiliam na busca pelo significado da ética, pois pode-se dizer que a conduta ética esta intimamente relacionada ao modo de pensar e agir das pessoas (SUNG; SILVA, 2008, p. 11). Para Valls (2006, p.7) a ética seria uma das coisas que “[...] todo mundo sabe o que são, mas que não são fáceis de explicar quando alguém pergunta” e, ainda, “[...] pode ser o estudo das ações ou dos costumes, e pode ser a própria realização de um tipo de comportamento”.
    Em sua essência, a ética origina-se “[...] do grego ethos [...]” que significa “[...] modo de ser, caráter”. Poderia ser caracterizada como “[...] uma reflexão teórica que analisa e critica ou legitima os fundamentos e princípios que regem um determinado sistema moral [...]” (SUNG; SILVA, 2008, p. 13). Complementando esta ideia, possibilita-se dizer que a questão da ética, além de reger tal sistema, é construída ou modificada de acordo com a evolução da sociedade, fator que a torna dinâmica e cada vez mais complexa a cada dia (VALLS, 2006).
    Diante disto, faz-se necessário mencionar que o homem deve, além de construir seu comportamento cultural, formular a sua conduta ética que, vulgarmente dizendo é o ‘espelho’ de seu caráter e uma das consequências de tal comportamento (VALLS, 2006). Inteirando isto, Sung e Silva (2008, p. 15) salientam que “o ser humano deve, portanto, construir ou conquistar o seu ser”, pois “ele não nasce pronto, se faz ser humano, se torna pessoa” [...] sendo que “o grande desafio de nossas vidas é este processo de construção do nosso ser” (SUNG; SILVA, 2008, p. 15), ou seja, da conduta ética.
    Cada indivíduo é capaz de pensar, realizar suas escolhas e agir da forma que acredita ser a mais certa e justa, porém este se defronta com situações diversas, pois o que ele enxerga como o ideal, pode não ser o mais adequado para o coletivo. Ou seja, “a necessidade de conviver com os outros nos leva à necessidade de estabelecermos a sobrevivência de todos os que compõem a coletividade. Isso significa na prática que os meus direitos e interesses não podem ser absolutizados na medida em entram em conflito com interesses e direitos de outros com os quais necessito conviver” (SUNG; SILVA, 2008, p. 20).
    Por fim, conclui-se que a ciência, a arte ou prática intitulada como ética é um fator polêmico, com inúmeros significados e perspectivas que são construídas pela humanidade no decorrer do tempo e, também, como consequencia, de situações em que os indivíduos estão sujeitos em suas vidas. Tratando-se de uma verdade não-absoluta e nem tão pouco adepta por todos.

    ResponderExcluir
  12. Jakeline Matias Leonardi14 de março de 2011 15:40

    VALLS, Álvaro L.M. O que é ética. São Paulo: Brasiliense, 2006.

    Os problemas da ética

    “A ética pode ser o estudo das ações ou dos costumes, e pode ser a própria realização de um tipo de comportamento”. (p.7).
    Os problemas teóricos da ética não se distinguem na vida real, eles estão presentes a cada dia, em várias situações do cotidiano.
    Os valores éticos podem sofrer alterações ao longo do tempo, o que antigamente poderia ser considerado errado, atualmente pode ser admitido.
    “Não são apenas os costumes que variam, mas também os valores que os acompanham, as próprias normas concretas, os próprios ideais, a própria sabedoria, de um povo a outro”. (p.13).
    As pessoas divergem em suas opiniões, sendo assim o conceito de ética diferencia-se de um para o outro, segundo Kant “(...) é moralmente necessário que todos ajam assim.” (p.21), para ele todas as pessoas tinham que agir e pensar da mesma maneira, a ética seria idêntica para todos, o que fosse estabelecido deveria ser cumprido, desta forma haveria uma igualdade entre os homens.

    SUNG, Jung Mo e SILVA, Josué Cândido da. Conversando sobre ética e sociedade. 15.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

    O porquê da ética

    A ética é útil para que haja um bom funcionamento social e um equilíbrio entre as relações sociais, humanas, etc.
    Cada grupo dentro de uma sociedade possui seus valores, seu código de ética, e isso se difere um dos outros, entre, por exemplo, Estados, Países.
    “Ética seria então uma reflexão teórica que analisa e critica ou legitima os fundamentos e princípios que regem um determinado sistema moral”. (p.13).
    Muitas vezes temos atitudes visando o bem, mas apenas o nosso próprio bem, e prejudicando os outros, a maioria das nossas atitudes são automáticas isso é conseqüência de aprendizados do passado, de já ter uma noção do que seja ético.
    “(...) Nós somos seres morais e as comunidades humanas sempre criaram sistemas de valores e normas morais para possibilitar a convivência social, porque somos seres não determinados pela natureza ou pelo destino/Deus”. (p. 22).


    JAKELINE MATIAS LEONARDI
    4°ANO ADM

    ResponderExcluir
  13. Luciana dos Santos Omelli14 de março de 2011 16:49

    Luciana Dos Santos Omelli

    O porquê da Ética
    Jung Mo Sung e Josué da Silva. Conversando sobre Ética e Sociedade, edição, Petrópolis, RJ: vozes, 2008.

    Constantemente nos vemos diante de problemas e situações que nos levam a questionar o que é certo e o que é errado,ficamos nos perguntando o porquê do mundo ser assim e o que mos fazer. Embora não estejamos acostumados a refletir sobre estas questões é importante saber responde-las, através delas é que determinamos o rumo e os passos de nossas vidas.
    Geralmente seguimos as normas da sociedade ou do nosso grupo social onde seus valores morais são expressos e tornam obrigatórios assim nos sentimentos dentro da normalidade.
    A palavra moral significa costumes e ética conceitua-se por modo de ser ou caráter sendo comum usá-las como sinônimos ou quando diferenciada a ética seria uma reflexão teórica que analisa ou critica os fundamentos e princípios que regem um determinado sistema moral.
    Os seres humanos são seres inacabados que tem o desafio de se construir e de conquistar o seu ser e por ser livres são responsáveis pelas conseqüências de suas atitudes e de seus atos, pois,deles dependem a convivência humana.
    A indignação ética é a experiência de se rebelar diante de uma situação desumana ou injusta, sendo fundamental para desmascarar o mal travestido de normalidade e descobrir o bem e a justiça, levando-nos a desejar e nos impulsionar a construir um futuro diferente e melhor do que o presente.
    Quando assumimos a nossa condição humana com necessidade e liberdade e buscamos realizar o nosso ser, tornamos responsáveis pelas intenções das nossas ações e pelas suas conseqüências.
    Através de um questionamento ético é possível verificar contradições que fazem parte de nossas vidas, como, o conflito entre meu interesse a curto prazo e meus objetivos a médio prazo ou a longo prazo que se chocam e para fazer a melhor escolha é necessário analisar as vantagens e desvantagens de cada opção permitindo atingir o bem maior sem negar totalmente os interesses imediatos.
    Outro Conflito é entre o interesse pessoal e coletivo, onde nos obriga a pensar o que fazer em relação aos outros, não nos deixando abolir nossos interesses pessoais, pois, assim estaria negando o direito dos outros e declarando que não necessitamos uns dos outros.
    A consciência ética que surge de todos os conflitos mencionados é gerada com a desconfiança que os valores morais da sociedade encobrem algum interesse particular, não confessavél ou inconsciente que rompem com as próprias causas geradoras da moral.

    Os Problemas da Ética
    Valls, Álvaro l.M; O que é Ética, São Paulo, Brasiliense, 2006.
    A ética pode ser entendida com um estudo ou uma reflexão cientifica, filosófica e até mesmo teológica sobre os costumes e ações humanas,também chamamos de ética a própria vida conforme os costumes considerados corretos.
    Quando se estuda ética é possível verificar problemas ligados à liberdade,ao bem e o mal, problemas com a consciência moral e da lei,e problemas específicos de aplicação concreta, como problemas da ética profissional,de ética política,ética sexual e matrimonial.
    Uma questão importante,é que os costumes mudam,o que ontem era considerado errado hoje pode ser aceito,sendo assim, um comportamento correto em ética são os que podem ser adequado aos costumes vigentes ou pelo menos enquanto a maioria da sociedade aceitem, com isso,existe tamanho esforço de teorização no campo da ética debatendo com o problema de variação dos costumes.
    Kant diz que os conteúdos éticos não são dados do exterior cada um de nós possui, porem á a forma do dever que se expressa em várias formulações, no chamado imperativo categórico que possuiu esse nome por,não se basear em hipóteses ou condições e ser uma ordem formal.
    Kant buscava uma ética de validade universal, que se apoiasse apenas na igualdade fundamental entre os homens,buscando encontrar num homem as condições de possibilidade do conhecimento verdadeiro e do agir livre.

    ResponderExcluir
  14. Mariane G. Rufino Vasconcelos14 de março de 2011 16:54

    O Porquê Da Ética

    Moral é algo que a sociedade onde vivemos impõe, pode receber influencia da religião, dos costumes, da tradição, e principalmente da educação que você recebe. Construímos nossa visão de moral de acordo com o meio que vivemos. Ética diz respeito, ao seu caráter, dignidade, confiabilidade, honestidade para consigo e para com próximo. É ter uma intenção e realizá-la ciente de todas as conseqüências desta atitude. E assumir inteira responsabilidade de seus atos. A moral e a ética, como a qual encontramos hoje recebeu muitas influencias de filósofos, pensadores e pessoas que acreditavam estar certo, o seu ponto de vista, e que, com base neste ponto traçavam um futuro diferente, de todos aqueles já propostos.

    Os Problemas Da Ética

    O terceiro milênio sinaliza mudanças cada vez mais evolutivas no comportamento humano, em decorrência dos avanços científicos e tecnológicos. O mundo evoluiu, as pessoas cresceram, e junto a maneira de raciocinar. A cada geração uma nova descoberta, uma nova maneira de ver aquilo que por anos foi ditado como certo, porem, hoje a uma nova visão, um pensamento diferente que gera atitudes contrarias. Seja na maneira de pensar, nos costumes da época, na forma de vestir, na tradição familiar, ou, ate mesmo, na sociedade vivida.

    Mariane G. Rufino Vasconcelos

    ResponderExcluir
  15. OS PROBLEMAS DA ÉTICA

    É muito comum nos dias de hoje falar-mos em ética, quando falamos nesse assunto é comum nos remetermos a nossa infância, nossas crenças e valores.
    Conforme o autor relata ética está relacionada ao que determinada cultura, julga como certo ou errado. Porém cabe a nós formadores de opinião escrevermos, como nossa sociedade deve se comportar nos anos que se aproximam.
    Não tem como falar em ética, sem mencionar o amor a amizade o companheirismo. Sentimentos esses que nos remetem ao bem estar em sociedade.

    Ariovaldo da Silva.

    ResponderExcluir
  16. SERGIO HENRIQUE CARVALHO FARIA - 4 ADM


    Os Problemas da ética

    A ética tradicionalmente ela é entendida como um estudo ou como uma reflexão sobre os costumes e as ações humanas. As questões da ética aparecem a cada dia, quando diferenciamos do saber, ou de outros estudos de comportamentos humanos, como o direito, a teologia, a estética, a psicologia, a historia, a economia e outros. (pag. 08)
    A ética nos traz problemas e discussões em suas variadas formas de analises, esses problemas implicam a todos uma relação com outras disciplinas, mas são todos problemas específicos da ética.
    Os costumes mudam e o que ontem era considerado errado hoje poder ser aceito, assim como o que é aceito entre os índios do Xingu pode ser rejeitado em outros lugares, do mesmo país. (pag. 10)
    A ética não seria mais nada que um comportamento que ainda não esta em vigência, enquanto esse comportamento ou esse costume não for absorvido pela sociedade isso estaria como um erro, após essa vigência o tal erro já não seria mais sentido pela sociedade.
    Não são apenas os costumes que variam, mas também os valores que os acompanham, as próprias normas concretas, os próprios ideais, a própria sabedoria, de um povo a outro. (pag. 13)
    Sócrates foi chamado de “o fundador da moral” porque a sua ética não se baseava simplesmente nos costumes dos povos e ancestrais, assim como nas leis exteriores, mas sim na convicção pessoal, na tentativa de compreender a justiça das leis. (pag. 17)


    SERGIO HENRIQUE CARVALHO FARIA - 4 ADM

    ResponderExcluir
  17. Luzia da silva ferreira - 8ºperíodo15 de março de 2011 14:15

    FICHAMENTO: OS PROBLEMAS DA ÉTICA


    Ética todo mundo sabe o que é, mais não é de fácil explicação quando alguém pergunta, tradicionalmente é entendida com estudo ou reflexão, científica ou filosófica, e esporadicamente até teológica, sobre os costumes ou ações humanas.
    Didaticamente, costuma-se separar os problemas teóricos da ética em dois campos: os problemas gerais e fundamentais (como liberdade, consciência, bem, valor, lei); no segundo, os problemas específicos, de aplicação concreta, como os problemas de ética profissional, política, sexual, matrimonial e de bioética. Cabe a reflexão ética perguntar se o homem pode realmente ser culpado, ou se o que existe é apenas um sentimento de mal-estar sem fundamento.
    Os costumes mudam e que ontem era considerado errado hoje pode ser aceito. Não seria nada mais do que um comportamento adequado aos costumes vigentes, isto é, enquanto estes costumes tivessem força para coagir moralmente, o que aqui quer dizer, socialmente. Quem comportasse de maneira discrepante, divergindo dos costumes aceitos e respeitados, estaria cometendo erros.
    Em certos casos, só chegaremos a descobrir qual ética vigente numa ou noutra sociedade através de documentos não escritos ou mesmo não filosóficos tais como: pinturas, esculturas, tragédias e comédias, formulações jurídicas, políticas, livros de medicina, relatórios históricos e até livros penitenciais dos bispos medievais.
    Em época passadas questionar ética e normas que a sociedade imponha não eram corretos, quem o fizesse seria castigado como os grandes filósofos gregos, com decorrer dos tempos foi-se abrindo espaço para os demais membros da sociedade ter liberdade de expressão.
    Nos dias atuais considere que o estudo da ética é a região mais difícil, e aquela para a qual o pensamento, reflexivo e discursivo, está atualmente menos preparado. Então seria melhor simplesmente ignorar as questões éticas, cuidando apenas dos assuntos técnicos, tais como: arranjar dinheiro, arranjar-se na vida, progredir profissionalmente e gozar o que for possível. Mas, neste caso, nós homens não estaríamos abdicando, renunciando ao nosso anseio de liberdade? Cabe a cada um de nós fazer um auto-analise para verificar qual seu propósito de vida (VALLS, 2008).

    ResponderExcluir
  18. Luzia da silva ferreira-8ºperíodo15 de março de 2011 14:18

    ACADÊMICO: LUZIA DA SILVA ERREIRA.


    FICHAMENTO: CONSCIÊNCIA ÉTICA

    A consciência resulta da relação íntima do homem consigo mesmo, ou seja, é fruto da conexão entre as capacidades do “ego” (eu) e aquelas das energias espirituais, responsáveis . Reside no interior de nós mesmos, um elo cujos limites não estão demarcados no campo da ciência e que liga o que de mais íntimo possuímos como que de mais exterior de nós se relaciona com o mundo ambiental. A consciência age também, como um tribunal, através do qual se condenam ou aprovam-se nossos atos, através da autocrítica.
    A consciência ética, portanto, é esse estado decorrente de mente e espírito, através do qual não só aceitamos modelos para conduta, como efetivamos julgamentos próprios.
    Nem sempre a felicidade de um ser se consegue sem que outros percam a sua, ou pelo menos, a tenham sonegada; quantos não assumem o poder pela usurpação? Também o vício promove a felicidade daquele que tem a mente distante da prática do bem em si e que só entende por tal seu próprio benefício. Conquistar a felicidade egoísta não encontra apoio e nem é considerável na ética.
    O eticismo é decorrente de uma ação harmônica entre o ser que pratica e a comunidade na qual se insere. Nossa conduta ética sendo fruto de nossa consciência passa por julgamentos próprios, como também, de terceiros e, neste particular, torna-se genuinamente ética.
    As normas impostos pelas organizações sociais estão sujeitas ao domínio de grupos e que esses podem normatizar em favor de seus próprios interesses, quando os referidos dominantes não possuem uma formação humana baseada na prática do bem geral, é viável que os códigos de ética possam gerar conflitos de consciência.
    O fato que existe dentro de cada um de nós um fluxo de julgamento e de intenções para o que admitimos como verdade. É essa capacidade que pode estabelecer conflitos com as normalizações, com as leis, sob certas condições.
    O normal seria que, quanto mais experiente fosse o profissional, mais aguçada seria sua consciência ética, mas nem sempre isto é verificável. A supremacia do valor monetário sobre o humano, processa deformações da consciência e rompe aquela moral. Nesse território de indagações sobre consciência ética, é possível ter clara visão do quando ela depende do ambiente, das circunstâncias que podem levar o profissional em casos extremos a conflitar-se com o interesse social (SÁ, 2009).

    ResponderExcluir
  19. Luzia da silva ferreira - 8º período15 de março de 2011 14:22

    FICHAMENTO: O PORQUÊ DA ÉTICA

    Mediante as várias perguntas e questionamentos o ser humano depara-se na dúvida de como agir em determinadas situações, se o que está fazendo é correto ou não. A convivência em sociedade requer normas e valores morais que devem ser respeitados. As normas, normativos, normal, costumes são palavras que estão interligadas em torno da questão da ética e a moral. Ética vem a ser definida como o conjunto de práticas morais de uma determinada sociedade, ou princípios que norteiam estas práticas. Diferencia-se a ética da moral, visando distinguir o conjunto de práticas morais cristalizadas pelo costume e convenção social dos princípios teóricos que as fundamentam ou recriminam. Ética seria então uma reflexão teórica que analisa e critica ou legitima fundamentos e princípios que regem um determinado sistema moral.
    O ser humano deve construir ou conquistar o seu ser; ele não nasce pronto, se faz ser humano, se torna pessoa. Sendo o grande desafio de nossa vida este processo de construção de nosso ser.
    O fato de sermos livres, mesmo que não o sejamos de uma forma absoluta, levanta o problema da responsabilidade, devemos ser responsáveis pelas conseqüências das nossas ações e atitudes.
    A indignação ética surge da experiência existencial de se rebelar diante de uma situação desumana ou injusta, sendo uma das experiências humana fundamentais, pois expressa a liberdade frente a normas injustas e petrificadas aceitas com normalidade.
    Quando assumimos a nossa condição humana, com necessidades e liberdade, limites e potencialidades, buscamos realizar nosso ser tornando responsáveis pelos nossos atos, atitudes e conseqüências.
    Nossas ações têm por trás de si motivações, podendo ser conscientes ou inconscientes. Quando se tem consciência do fim almejado e dos meios utilizados, temos um ato voluntário. As motivações inconscientes são automáticas.
    Os conflitos de interesses que nos dá discernimento concreto, deve prevalecer o bem maior do individuo ou grupo; conflitos entre interesse pessoal e coletivo faz com que as pessoas questionam o que deve ser feito em relação às outras pessoas ou outros grupos.
    A vida ensina que ninguém ou quase ninguém, pode viver totalmente isolado, não somente por causa das necessidades afetivas, mas também por causa das necessidades materiais. A necessidade de conviver com outros nos leva à necessidade de estabelecermos relações que permitam a sobrivivência de todos os que compõem a coletividade. Ser absoluto em seu direito nega os direitos de outros, e declara que não necessito deles para sobreviver, se essa atitude for tomada torna-se impossível a vida em um grupo social(SUNG, SILVA, 1995).

    ResponderExcluir